publicacao

Dicas para aproveitar o máximo do seu plano de saúde

plano de saúde é uma prioridade para muitas famílias, tendo em vista que ele oferece acesso a uma medicina de qualidade e tranquilidade em uma possível emergência médica.

No entanto, é preciso ter em mente que o sistema brasileiro de saúde suplementar exige uma maior conscientização quanto ao uso dos serviços, a fim de garantir a sustentabilidade do setor.

De acordo com um levantamento do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), o gasto dos planos de saúde com contas hospitalares e exames indevidos, fraudes e desperdícios somou quase R$ 28 bilhões em 2017, ou seja, 19,1% de toda despesa assistencial no período.

Esses gastos impactam consideravelmente a qualidade dos serviços prestados e os preços dos planos, que acabam por subir nos períodos de reajuste.

O plano de saúde empresarial é um seguro coletivo, ou seja, quando você vai a uma consulta ou realiza algum procedimento médico, os custos são divididos por todos os participantes. Dessa forma, para que o plano não sofra reajustes é preciso que a contribuição dos participantes e da empresa sejam suficientes para cobrir as despesas. Quando o uso ultrapassa a receita ocorre o que chamamos de sinistralidade.

Dessa forma, é essencial a  participação ativa de todas as partes envolvidas, incluindo operadoras, médicos, hospitais, clínicas, laboratórios e pacientes, que devem se responsabilizar pela utilização adequada dos serviços e recursos em prol da coletividade.

A seguir, entenda como a utilização do benefício saúde influencia no reajuste e conheça algumas dicas para aproveitar ao máximo o seu plano de saúde, sem impactar em seu custo.

Os impactos do mau uso no reajuste

Os planos de saúde individuais /  familiares são reajustados anualmente, de acordo com o teto de reajuste definido pela ANS. Esse tipo de reajuste leva em consideração fatores como o envelhecimento da população, o aumento da inflação médica e as novas tecnologias que impactam os custos com saúde.

Já os planos de saúde coletivos apresentam três tipos de reajuste: o anual, por faixa etária e o de sinistralidade, que leva em conta a frequência de uso dos serviços. Portanto, o uso inadequado do benefício possui grande influência no valor a ser reajustado.

Boas práticas para o uso consciente do plano de saúde

Para evitar gastos inesperados com o aumento do reajuste, é necessário adotar uma postura consciente em relação à utilização dos serviços oferecidos pelo seu plano, a fim de assegurar a melhoria da qualidade dos serviços prestados:

Fique atento a carência do plano

A carência é o período, firmado em contrato, entre a assinatura do contrato e o início do uso dos serviços contratados. Os períodos máximos de carência costumam ser os seguintes:

  • 24 horas: urgência e emergência;
  • 180 dias: internações, cirurgias e procedimentos complexos;
  • 24 meses: doenças ou lesões preexistentes (aquelas que o segurado sabia que possuía quando fez a contratação do serviço);
  • 300 dias: partos

É importante ler atentamente o contrato e tirar todas as suas dúvidas quanto aos períodos de carência, evitando surpresas no momento em que precisar utilizar o plano de saúde.

Aproveite a rede credenciada

A rede credenciada é a relação de médicos, hospitais, clínicas e laboratórios que são cobertos pelo plano de saúde. Sempre que precisar utilizar o plano consulte a sua rede credenciada e verifique se as especialidades listadas atendem a sua necessidade.

Optar por reembolso é uma prática que encarece o plano de saúde e pode interferir em um futuro reajuste.

Guarde seus exames

Exames de rotina, como os de sangue, possuem prazo prolongado, não sendo necessário repeti-los em um curto espaço de tempo. Sempre que possível, aproveite o resultado dos exames já realizados.

Além disso, guardar um histórico de exames é importante para fornecer ao médico dados essenciais ao diagnóstico e tratamento.

Fique atento às consultas agendadas

Embora imprevistos aconteçam, marcar consultas e exames e não comparecer pode prejudicar o acesso de outras pessoas aos serviços. Dessa forma, sempre que possível, avise com antecedência o não comparecimento. Muitas pessoas podem estar aguardando uma desistência para conseguir o atendimento.

Confira a guia médica antes de assinar

Após o atendimento, o estabelecimento disponibiliza uma guia com a descrição de todos os procedimentos realizados. Esse documento é indispensável para que a operadora de plano de saúde repasse o valor do ao médico.

Antes de assinar o documento, certifique-se de que o serviço que consta na guia foi o que você realmente utilizou e, em caso de divergência, não deixe de comunicar a sua operadora de saúde.

Aproveite o período de retorno médico

De acordo com a legislação vigente, o consumidor tem direito a um retorno médico sem custos para a apresentação de exames e confirmação de diagnósticos. O período de retorno é definido pelo médico.

Aproveite essa consulta para esclarecer todas as suas dúvidas em relação ao procedimento ou ao diagnóstico. Lembre-se de anotar suas dúvidas e levá-las no dia da consulta para que não se esqueça de contar ao médico sobre algum sintoma, assim ele poderá lhe dar um diagnóstico mais completo.

Evite consultar vários médicos da mesma especialidade

Uma prática comum entre os usuários de planos de saúde é consultar médicos da mesma especialidade para confirmar diagnósticos simples. Essa prática onera os custos do convênio médico.

Em caso de dúvida sobre a especialidade médica, marque sua consulta com um clínico geral. Ele poderá te encaminhar para o especialista indicado, evitando procedimentos desnecessários.

Segunda opinião médica para casos complexos

Por outro lado, a segunda opinião médica é recomendada em casos complexos, em que são necessários procedimentos cirúrgicos, por exemplo.

Contar com a opinião de um segundo especialista pode vir a evitar a realização de intervenções e cirurgias desnecessárias, procedimentos que contribuem e, muito, para a elevação do custo do plano de saúde.

Pronto-socorro somente em urgência e emergência

Evite a utilização do pronto-socorro para situações de rotina, pois esse tipo de consulta tem custo dobrado. Além disso, ir ao hospital implica riscos de contrair doenças típicas desses ambientes.

Prefira realizar esse tipo de consulta em consultórios e clínicas da sua rede credenciada,

com horário marcado. Certamente essa é a opção mais segura, econômica e confortável para você.

É importante destacar que uso consciente não significa usar menos, e sim usar melhor. Beneficiários mais conscientes buscam acompanhamento médico para prevenir doenças e adotar um estilo de vida mais equilibrado, iniciam e finalizam adequadamente seus tratamentos, seguem as orientações médicas no dia a dia, buscam os exames realizados e comparecem a consultas de retorno no tempo acordado.

É preciso adotar essas boas práticas e estar bem informado para evitar altos reajustes e garantir a qualidade dos serviços e os seus direitos como consumidor. O nosso papel é oferecer as melhores opções de produtos disponíveis no mercado, coerentes com suas necessidades, além de esclarecer toda e qualquer dúvida no momento da contratação.

FONTE: http://saobernardo.com/blog/dicas-para-aproveitar-o-plano-de-saude/